24 março, 2006

Vento...



Vento...
Devolva-me
a parte de mim
Que longe de mim
se encontra

Sou flor sem beleza
sou céu sem estrelas
sou gente sem paz...
Como vou seguir meu caminho?

Vento...
Leva somente a poeira
do tempo que estagnou
Limpa cada entrelinha
que a vida aniquilou

3 comentários:

Cátia disse...

Querida poetiza... suas palavras tocam profundamente.
Queria perguntar o que nem s e pergunta aos poetas...
Você escreve sobre os seus s entimentos... ou sobre os sentimentos do mundo?

Carol disse...

Querida Carol...
Também pergunto ao vento por que não leva pra longe o sofrimento.
Mas nem sempre o vento sopra a favor dos nossos desejos...
O que vale é seguirmos o caminho... sempre em frente, devagarinho!
Beijos... :)

*CAROL* disse...

Querida Cátia... Boa pergunta! Na realidade, é um pouco de cada coisa: um pouco de sentimentos próprios, um pouco de sentimento do mundo, um pouco de tradução dos sentimentos dos outros... Mas, a verdade verdadeira é que escrevo para liberar de mim as palavras e sentimentos que me martelam a alma... Beijinhos