16 março, 2006

Amor, verdadeiro amar...



Assim nasceu meu amor,
Prematuro
Mal pude me preparar
Mas veio tão sutilmente
E transformou-me plenamente

Por tão pequeno
Pediu-me delicadeza
Por tão sensível
Pediu-me maturidade
Por tão indefeso
Pediu-me força e coragem

Assim nasceu minha amada
Isabella, tão sonhada
Do meu caminhar
A me transformar
A me completar

Sou mãe. Tão doce é amar!

4 comentários:

Anônimo disse...

Carol tem um jeito de escrever que nos transporta aos seus pensamentos, pois tem dentro do seu coração os mais puros sentimentos, isto é bom para quem lÊ, sou suspeita pra falar desta grande mulher, parabéns amiga...conserve sempre este dom...beijos musicais
ANA PAULA BRUNKOW

Anamaria disse...

Filha, você não me surpreendeu escrevendo, pois tens uma imensa capacidade e inteligência.Basta despertar e deixar fluir... O que me surpreende é este teu jeito tranqüilo, que apesar das dificuldades que a vida te apresenta,consegues viajar nas palavras e trazer tantas coisas lindas para tocar nossas almas. Parabéns. Um beijão da sua mamãe que te ama muito.
Desejo-te felicidades

Ela disse...

Carol...
Posso te dizer que acredito com a força da alma, que este, o amor filial é o mais verdadeiro, o mais forte, o mais emocionante d e todos os amores.
É amor pra toda uma vida
Esse não acaba nem nunca.
Que lindo ver você mar ser mãe, também amo assim!

Carol disse...

Carol... mãe é um ser maravilhoso, basta olhar o rostinho feliz da sua pequenina... Beijo... :)