27 maio, 2006

Saudades















(imagem de uma rua de Lisboa que ganhei do amigo Hay especialmente para postar junto a esta poesia)

Tenho saudades...
daquele pôr-do-sol avermelhado,
daquelas tardes de prosa nos galhos da ameixeira
daqueles cachorros, tão pequenos, tão grandes
da imaginação que tornava os dias mais coloridos
dos lápis de cor e canetinhas que coloriam os desenhos
e inventavam personagens, estórias e novas emoções
das musiquetas cantadas sem pudores, com todo coração
dos acampamentos e fogos de conselho escoteiros
das brincadeiras de queimada no recreio da escola
das histórias que minha avó contava
do meu primeiro beijo
dos bolinhos de chuva do meu avô
de andar de pés descalços e
tomar banho de chuva até ficar com as pontas dos dedos murchas
de ficar a tarde inteira no clube e chegar em casa morrendo de fome
de brincar de esconde-esconde com os primos na casa de praia da minha avó
de ganhar estrelinha na escola por nota boa e bom comportamento

tenho saudades de mim...

sou, por herança, sonhadora
por isso revejo minha infância, pelos olhos de minha filha
e o que de melhor posso desejar
é que a infância dela seja
tão feliz quanto a minha!

5 comentários:

Carol disse...

As tuas saudades são algumas das minhas, sinto falta as vezes até de mim...
Breve estarei de volta ao Blog-bebê-crescido e aos blogs amigos!
Beijos e ótima semana para ti!!
Carol

Ela disse...

Ola
Querida, vc é doce, e observa o mundo através dos olhos d e tua filha. Isto é lindo.
Boa semana

Marilena disse...

seu poema me fez recordar de mim mesma. senti saudades. obrigada. 1 bj e boa semana.

Paulo Osrevni disse...

Seus poemas são todos muito lindos! Parabéns!

Carolina Faria disse...

Carol... Um super bj pra Vc... Só pra vc não dizer que eu nunca entrei no seu blog...