09 janeiro, 2008

Interroguei minha alma

Instalação de Luiz Antônio Chiquitão

Interroguei minh’alma livre
de teimosas ambições consolidadas
se no oposto do abismo
da costura me quisera

Disse-me apenas
haver de querer ouvir os pássaros
com líricas pretensões empertigadas
fazendo ninhos onde o azul alça suas nuvens
entrecruzadas por fios de prata machucados
*
Juntei pedaços de rancores de outras datas
não os colei pra que não renasçam pós-enterro
cantei um solo, bem chorado e marcado
e enterrei as ilusões a sete palmos e ao avesso

3 comentários:

Catatau disse...

Olá!

Que bom que vc gostou do haikai! já viu os outros? Qquer coisa, estamos aí!

um grande abraço,

Rita Costa disse...

Vivo interrogando a minha sabe.:)
Lindo demais esse poema. Parabéns, Caroline!

moacircaetano disse...

Que lirismo, moça!
Lindo!